Cron - Centro Regional de Oncologia

Genética como aliada na prevenção do câncer

A modernização e o barateamento dos testes genéticos estão contribuindo para o desenvolvimento de novos tratamentos e combate a doenças. Na oncologia, a análise da predisposição genética está auxiliando nas estratégias de combate ao câncer. Através dos testes é possível descobrir a probabilidade de desenvolver tumores ou se a doença já existente é de caráter hereditário.

Todo câncer é resultado de uma alteração das células do organismo, porém, somente 10% de todos os tipos da doença possuem origem genética. De acordo com a médica geneticista, Camila Matzenbacher Bittar, as síndromes de predisposição hereditária são causadas por uma mutação que pode ser passada de geração em geração. “Uma vez identificada a existência da síndrome em um paciente, a chance de seus irmãos e filhos também terem é de 50%”, explica.

Camila destaca que conhecer o histórico de câncer na família pode ser decisivo tanto para a escolha do tratamento, quanto na redução da ocorrência de novos casos da doença no paciente e seus familiares em risco. “Para identificar esse tipo de propensão são fundamentais o aconselhamento e os testes genéticos”, afirma.

Quando há investigação familiar, a análise começa por um integrante já afetado pela doença. O teste é indicado com base no histórico pessoal e mesmo quem não teve câncer pode fazer o exame genético para descobrir a probabilidade de sofrer alterações no organismo.

“Testes germinativos são geralmente coletados em saliva ou sangue e podem englobar desde a análise de um único gene até 84 genes de predisposição hereditária da doença”, explica a geneticista. O tipo de teste e a técnica utilizada são indicados na consulta de aconselhamento genético.

 

Genética como aliada na prevenção do câncer

 

Sinais de alerta

As suspeitas de uma síndrome hereditária começam quando o diagnóstico da doença é feito em pessoas jovens, ou seja, quando os tumores se manifestam dez anos antes do que comumente acontece. Também serve de alerta quando há “vários tumores no mesmo indivíduo ou câncer em várias gerações da família”, destaca Camila.

Para confirmar a suspeita da doença é necessário submeter-se ao teste genético. Através dos resultados e do aconselhamento médico, é possível diagnosticar o tumor nos estágios iniciais, o que aumenta as chances de êxito dos tratamentos.

 

Genética como aliada na prevenção do câncer

 

Conhecimento compartilhado

Para destacar a importância dos estudos genéticos no tratamento do câncer, o Centro Regional de Oncologia (CRON) promoveu, no dia 17 de setembro, uma palestra junto a ginecologistas, mastologistas, gastroenterologistas e cirurgiões do Vale do Taquari. O evento, que ocorreu no Hotel Weiand – em Lajeado, foi ministrado pela geneticista Camila e trabalhou o tema “Câncer: quando encaminhar ao geneticista”.

A atividade compõe o Ciclo de Palestras CRON, evento que tem por objetivo proporcionar novos aprendizados e informações aos médicos da região.

 

Texto: Jéssica R. Mallmann
Créditos: Jornal A Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ENDEREÇO

R. Geraldo Pereira, 405
Alto da Bronze, Estrela - RS, 95880-000
(Dentro do hospital de Estrela)

Fone

+55 51 3720.5018

E-mail

contato@cron.med.br

CONTATO

© 2020 CRON - CENTRO REGIONAL DE ONCOLOGIA