Cron - Centro Regional de Oncologia

Amamentação: uma conexão de amor

Os primeiros meses de vida são determinantes para a saúde das crianças. Por isso, a amamentação é importante para o desenvolvimento dos pequenos, visto que o leite materno é rico em vitaminas, minerais e proteínas.

Há dez dias que Betina Schuster se tornou mãe dos gêmeos Caetano e a Bella. Entre trocar fraldas, dar banho e fazer dormir, um dos momentos mais especiais para ela é a hora de amamentar. “Eu já lia muito sobre isso na gestação para estar segura do que fazer. Eu sempre quis muito amamentar”.

Betina explica que os primeiros dias no hospital foram difíceis por ter que alimentar os bebês deitada. Mas desde cedo ela se preparou com cremes e massagem no banho, o que tornou o momento ainda melhor. Nessas horas, o copo de água sempre fica ao seu lado para se hidratar. Além disso, ela costuma cuidar da alimentação.

No quarto, em casa, a mãe procura se concentrar para a amamentação no silêncio, apenas ela e os gêmeos. “Eu consigo me conectar com eles, sinto que faço bem”, observa.

Quando a licença a maternidade acabar, Betina volta ao trabalho. Mas pretende continuar amamentando os bebês até pelo menos os sete meses. Mãe de primeira viagem, a experiência tem sido desafiadora para ela. “A gente imagina muita coisa, mas na prática é diferente. É muito lindo. Eu como mãe sinto o que eles precisam e eles se acalmam”.

 

Amamentação: uma conexão de amor

 

Danusa Kehrwald Paludo se tornou mãe da Maya faz cinco meses. Desde que a pequena nasceu, seu sentimento é de alegria e amor, principalmente na hora de amamentar. “A nossa conexão neste momento é inexplicável. Um tempo só nosso, o amor é intenso e o vínculo entre nós fortalece”, explica.

Entre os cuidados durante e depois da gestação, a mãe se preocupa com uma alimentação saudável e boa hidratação. Além disso, ela considera importante preparar-se psicologicamente e ter calma durante para transmitir segurança a Maya. Danusa pretende amamentar até o tempo em que o leite materno for necessário para a filha.

 

Amamentação: uma conexão de amor

 

Importância da amamentação

Segundo dados do Ministério da Saúde, a amamentação é capaz de reduzir em 13% a mortalidade infantil por causas evitáveis em crianças menores de 5 anos.

A pediatra Lauren Mallmann explica que é possível iniciar a amamentação logo após o nascimento do bebê, ainda na sala de parto. Segundo a médica, é por meio do leite materno que a mãe consegue passar os anticorpos, proteção contra as infecções, ao filho.

Logo que o bebê nasce, o primeiro leite que sai da mama é o colostro. Um leite mais amarelado, mais espesso, e rico em proteínas e agentes de defesa do organismo. Ele é considerado “a primeira vacina do bebê”.

“O leite materno apresenta todos os nutrientes necessários para alimentação exclusiva até os seis meses de idade, não sendo necessário oferecer água, sucos ou chás nesse período. O importante é que a mãe tenha uma dieta saudável, rica em frutas e verduras”, ressalta.

Mas se o momento da amamentação é importante para os bebês, é também para as mães, já que as protege contra o câncer de mama e ovário. Além disso, auxilia na involução do útero e retorno mais rápido do peso de antes da gestação.

No entanto, algumas mães têm dificuldades de amamentar no início, por alterações de sua mama, por exemplo, ou por alergia do bebê a proteína do leite de vaca.

“O diagnóstico é feito pelo pediatra, ou seja, não é prudente suspender o aleitamento materno sem orientação medica”, explica Lauren. O ministério da saúde recomenda a amamentação até os dois anos de idade ou mais.

 

Texto: Jéssica R. Mallmann e Bibiana Faleiro
Créditos: Jornal A Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ENDEREÇO

R. Geraldo Pereira, 405
Alto da Bronze, Estrela - RS, 95880-000
(Dentro do hospital de Estrela)

Fone

+55 51 3720.5018

E-mail

contato@cron.med.br

CONTATO

© 2020 CRON - CENTRO REGIONAL DE ONCOLOGIA