Cron - Centro Regional de Oncologia

31 de maio, Dia Mundial sem Tabaco

O Dia Mundial sem Tabaco é celebrado no dia 31 de maio. Criada e difundida pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a data tem o objetivo de chamar a atenção para a epidemia do uso do tabaco e propor ações preventivas.

O tabagismo é reconhecido como uma doença crônica causada pela dependência à nicotina, presente nos produtos à base de tabaco. Há uma grande variedade de produtos derivados de tabaco e que podem ser usados de várias formas: fumado/inalado, aspirado, mascado ou ainda absorvido pela mucosa oral. Todas contêm a nicotina, droga que causa a dependência. Após inalada, a nicotina chega ao cérebro em até 20 segundos, libera várias substâncias que são responsáveis por estimular a sensação de prazer. Essas sensações causadas pelo ato de fumar, modificam o estado emocional e comportamental das pessoas, de forma semelhante a cocaína, heroína e álcool. Com a inalação contínua da nicotina, o cérebro se adapta e passa a precisar de doses cada vez maiores para manter o nível de satisfação que sentia no início. Dessa forma, há muitos anos, a OMS incluiu o tabagismo como doença do grupo dos transtornos mentais e de comportamento decorrentes do uso de substâncias psicoativas.

As últimas estatísticas disponíveis apontam para um número quase inacreditável. Atualmente, 1 bilhão e 100 milhões de pessoas fumam ao redor do mundo. Ainda, o tabagismo deve ser considerado como exemplo de doença pediátrica, já que 80% dos fumantes começam a fumar antes dos 18 anos, e um quinto destes ainda antes dos 15 anos.

Há mais de 4.000 produtos químicos no fumo do tabaco, dos quais pelo menos 250 são conhecidos por serem prejudiciais e mais de 50 por causar câncer. Segundo estudos epidemiológicos, cerca de 60% dos fumantes morrem de alguma doença relacionada ao hábito de fumar. Estamos diante da maior causa isolada evitável de doenças e mortes precoces no mundo todo. O tabaco mata mais de 7 milhões de pessoas a cada ano.

Mais de 6 milhões dessas mortes são resultado do uso direto do tabaco, enquanto cerca de 890 mil são decorrentes do fumo passivo, ou seja, a exposição a fumaça de produtos derivados do tabaco em casa, nos restaurantes, ambientes de trabalho ou quaisquer outros espaços fechados. Os fumantes morrem precocemente, privam suas famílias de renda, aumentam o custo dos cuidados de saúde e impedem o desenvolvimento econômico.

 

31 de maio, Dia Mundial sem Tabaco

 

Nunca é tarde para parar de fumar. A cessação do hábito sempre traz benefícios ao ex-fumante, independente da idade e do tempo de uso do tabaco.

Quase que imediatamente após deixar de fumar, o corpo começa a fazer uma “limpeza”. O risco de desenvolver câncer e ataques cardíacos se reduz a cada dia, a respiração fica mais fácil e profunda e a família adoecerá menos por não mais estar exposta à fumaça do cigarro. Não faltam razões para, no mínimo, pensar na hipótese de parar de fumar. Equipes multidisciplinares têm os melhores resultados no tratamento do tabagismo. Existem várias opções terapêuticas com a utilização de medicamentos que auxiliam nesse tratamento. O acompanhamento com médicos capacitados para tratamento do tabagismo é fundamental para a correta administração destes medicamentos.

 

Dr. Juliano Gheno Petter
Especialista pela Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia – CRM 25773

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ENDEREÇO

R. Geraldo Pereira, 405
Alto da Bronze, Estrela - RS, 95880-000
(Dentro do hospital de Estrela)

Fone

+55 51 3720.5018

E-mail

contato@cron.med.br

CONTATO

© 2020 CRON - CENTRO REGIONAL DE ONCOLOGIA